Ações de restauro e revitalização não devem se limitar a monumentos e edifícios históricos. As arquiteturas vernaculares também devem ser preservadas, assim como instalações industriais ou de serviços, pois essas apresentam o caráter local e servem de referência para a cidade.

O restauro arquitetônico abrange as partes externas e internas de bens móveis, imóveis ou naturais, que possuam valor significativo para uma sociedade: seja estético, artístico, documental, científico, social, espiritual ou ecológico.

“Preservar o patrimônio cultural é algo de enorme importância para o crescimento social e cultural de um povo, pois os bens culturais retêm todo um conjunto de informações(…) e servem como documento das condições sócio-políticas e econômicas das civilizações.”

(Curso de Conservação e Restauro de Bens Culturais Móveis e Integrados da Universidade Federal de Pelotas/ RS)